Por que engordamos nos EUA? – Parte II

Por que engordamos nos EUA? – Parte II

engordar2Na primeira parte deste artigo, escrevi mais sobre as porções e alimentos nos EUA. Para fechar este assunto, resolvi falar um pouco de alguns costumes não só americanos, mas algumas mudanças nos nossos costumes que também podem levar ao aumento de peso.

Encontro com os amigos

Uma coisa que percebi aqui é como freqüentamos restaurantes. Aqui todos gostam de se encontrar para jantar. Como sou casada com americano, pude perceber de onde vem esse costume. Geralmente o americano sai de ainda jovem para estudar, moram em fraternidades ou apartamentos muito pequenos. É muito comum eles criarem o hábito de comer fora e de se encontrar com os amigos em restaurantes. A maioria de nós brasileiros morávamos com os nossos pais ou perto de nossos pais, familiares ou amigos. Nosso costume era chamar os amigos para jantar em casa. Muitas vezes pedíamos uma pizza ou preparávamos nós mesmos a comida. Mas estando aqui, você acaba se adaptando à cultura dos americanos. O problema em comer em restaurantes é o tamanho da porção que já comentei anteriormente e o excesso de gordura, sódio, açúcar e entre outros ingredientes que eles usam para que a comida fique mais saborosa. Comer em restaurante todos os dias aumenta o risco de obesidade.

Dica:

Volto a mesma dica: divida o prato. Peça porções que todos possam dividir. Não chegue ao restaurante com muita fome, desta forma você irá pedir o prato mais calórico. Não se sinta na obrigação de terminar o que pediu. Reserve os encontros para momentos especiais, não deixe que isso vire uma rotina.

Ansiedade

Mudar para um lugar novo e principalmente para um país diferente, gera ansiedade. Muitos de nós viemos para cá sem família, sem amigos. É normal ficarmos ansiosos. Para muitas pessoas o alimento é usado como forma de relaxar. Quando estamos em uma crise de ansiedade não prestamos atenção em nossa alimentação. Não paramos e olhamos nosso próprio prato. O alimento que nos conforta e traz prazer, na maioria das vezes, é o doce.

Dica:

Saiba reconhecer o seu momento de estresse. Faça caminhadas para “aliviar” um pouco a tensão. Não compre doces, salgadinhos se você sabe que irá come-los sem pensar. Compre frutas e deixe-as em lugares fáceis, já lavadas. Em um momento de “fraqueza” o que estará a seu alcance será uma opção mais saudável. Tente ligar para o Brasil mais vezes. Isso me ajudou muito.

Solidão

Se sentir sozinho faz parte da mudança e no começo é inevitável. Quando estamos sozinhos, muitas vezes optamos por alimentos mais fáceis, rápidos e muitas vezes não saudáveis. Muitas vezes comemos assistindo televisão ou trabalhando no computador. Fazendo isso, você não prestará atenção em sua refeição, comerá rápido e muito mais.

Dica:

Nem sempre os alimentos mais práticos ou congelados que dizem “healthy choice” são saudáveis. Preste atenção nos valores nutricionais e cuidado com excesso de sódio. Não olhe apenas para a gordura. Se está sozinho, compre saladas, frutas, frango que você possa grelhar. Faça a sua própria comida! Não faça suas refeições assistindo televisão, ou fazendo outras coisas. Reserve este momento apenas para o seu alimento. É muito importante que você mastigue bem a sua comida. Desta forma você se sentirá satisfeito muito mais rápido. Procure grupos no facebook onde você possa conhecer novos amigos.

Novo país, nova cultura, novos amigos, alimentos diferentes… Tudo é novidade. Espero que com todas essas dicas vocês tenham uma adaptação melhor e mais saudável.

 

The following two tabs change content below.

Érica Almeida

Nutricionista formada em São Paulo nunca imaginou que diria isso, mas sua parte favorita na casa é a cozinha. Viver bem e saudavelmente é possível, basta começar.

Latest posts by Érica Almeida (see all)

FB Comments

comments

2017-07-18T10:55:19+00:00

About the Author:

Nutricionista formada em São Paulo nunca imaginou que diria isso, mas sua parte favorita na casa é a cozinha. Viver bem e saudavelmente é possível, basta começar.

One Comment

  1. […] Leia também: Parte II […]

Leave A Comment