Refletindo no Dia Internacional da Mulher

Refletindo no Dia Internacional da Mulher

diamulher_featured2Ainda lembro da professora da quarta-série, na frente da sala de aula, falando que dia 8 de Março era o dia de celebrar as mulheres. Às vezes, como parte dessa celebração, a escola dava uma rosa, para a gente levar para a mãe. Todo ano, quando a professora falava sobre o dia da mulher, algum menino levantava a mão e perguntava: “Mas e o dia dos homens”. Até hoje não sei se eles perguntavam com sinceridade ou tentando ser engraçadinhos. O problema é que ano após ano, a professora não sabia explicar. Pobre professora, imagino ela sendo doutrinada que as mulheres são melhores para lidar com crianças porque são mais maternas, mais pacientes, mais dóceis. Então hoje, dia internacional da mulher, eu resolvi homenagear as mães, as professoras e os meninos que estudaram na minha classe tentando explicar porque temos só o dia da mulher e não o dia dos homens.

Em pleno ano de 2015, as mulheres ainda ganham menos do que os homens pelo mesmo trabalho. A indústria de tecnologia, a mais proeminente na região que nós vivemos, ainda é predominantemente masculina. Embora todo profissional encontre mais dificuldade de conseguir um emprego conforme vai ficando mais velho, esse problema é muito mais acentuado para as mulheres. Não só somos cobradas de permanecer eternamente jovens, mas eternamente magras, arrumadas e felizes, porque mulher brava “deve estar menstruada”.

Outro dia um homem me disse que homens fazem coisas que as mulheres não podem fazer, porque homens e mulheres são fundamentalmente diferentes. Ele citou o fato de que homens gostam de futebol por uma questão de instinto caçador, instinto competitivo e sei lá mais o quê. O que ele esqueceu de mencionar é que as mulheres no Brasil foram proibidas por lei de jogar futebol de 1941 a 1975. Mais de uma geração não teve a oportunidade de praticar o principal esporte do nosso país. Parece que estamos falando em algo pontual, mas a ideia de que existem coisas que homens fazem melhor do que mulheres pode ser aplicada a muitas outras áreas. Em inglês existe o termo “mansplaining” que significa a tentativa de explicar a diferença entre direitos de homens e mulheres. Há quem diga que da mesma forma que os homens são bons em Matemática, mulheres são boas em manter as coisas organizadas, uma concepção equivocada. A essas pessoas eu gostaria de perguntar por que as habilidades atribuídas a homens sempre são mais valorizadas e reconhecidas do que as que são atribuídas às mulheres. Será que as profissões ditas masculinas são superiores às profissões ditas femininas. Acreditar nessa idéia é acreditar que homens são naturalmente superiores às mulheres.

Entre tantas coisas, é isso que faz as mulheres serem merecedoras do seu próprio dia. É viver em uma sociedade em que não se aceita que um homem não tenha um trabalho, não ganhe seu sustento ou que não seja independente. E acha normal que mulheres, inteligentes, capazes e competentes sejam impedidas do direito básico de procurar trabalho e competir no mercado como qualquer pessoa deveria ter permissão para fazer.

Quando eu tinha 15 anos, eu trabalhava em uma escolinha de informática ensinando DOS, Windows, Word e Excel (sim, eu sou daquele tempo). No intervalo eu estava comentando com colegas que tinha decido aprender HTML, a linguagem que serve como base para os sites na Internet. Ao ouvir essa “audácia”, outro instrutor, meu colega de trabalho, apontou para o fogão que a gente usava para fazer café e me disse: ‘Ali seu HTML Jessica’ .Aquela foi a primeira de muitas vezes que eu entrei em contato com o que claramente pode ser chamado de machismo. Ninguém me ensinou sobre isso na minha casa, porque tanto meu pai quanto a minha mãe sempre quiseram que eu não deixasse o fato de ser mulher influenciar minhas decisões de estudo ou de carreira. Embora eu entenda e admire esse ponto de vista, hoje eu sei que só existirá igualdade quando tivermos consciência do que realmente deve ser celebrado em ser mulher: a força e a disposição para enfrentar os obstáculos que os homens nunca vão conhecer e ainda assim, chegar lá (não importa onde seja o seu lá).

Espero que vocês tenham um excelente dia das mulheres, com ou sem batom, com ou sem salto alto, sendo ou não a rainha do seu lar, apenas sendo a mulher que você pode e decidiu ser.

Jessica (desenvergonhosamente defensora da igualdade de gêneros)

The following two tabs change content below.

jessica

Latest posts by jessica (see all)

FB Comments

comments

2017-07-18T10:18:11+00:00

About the Author:

One Comment

  1. tatiana dutra e mello March 10, 2016 at 9:53 pm - Reply

    Excelente, Jessica…falou tudo!

Leave A Comment