Passo a passo: como validar seu diploma de fisioterapia e adquirir sua licença nos EUA

Passo a passo: como validar seu diploma de fisioterapia e adquirir sua licença nos EUA

Guest post: Driele Sanches


Para os fisioterapeutas brasileiros que têm interesse em exercer a profissão nos Estados Unidos, venho compartilhar minha jornada para validar meu diploma, conseguir minha carteira de fisioterapeuta e trabalhar com o que eu realmente amo!

Antes de entrar em detalhes, gostaria de deixar claro que o processo não é algo inacessível, porém requer tempo, paciência e dinheiro. No entanto, o resultado é muito recompensador e vale qualquer esforço, especialmente quando se trata da remuneração.

Bom, meu nome é Driele e sou fisioterapeuta formada na Universidade Católica do Salvador, na Bahia. Quando decidi iniciar o processo de validação do meu diploma nos EUA, me deparei com dificuldades que me deixaram bastante desanimada. Primeiro, meu inglês era muito fraco para entender as informações da internet. Segundo, os depoimentos de imigrantes fisioterapeutas eram completamente desestimulantes. Muita gente dizia que era um processo muito difícil, que levaria uns 5 anos, muitas desistiram no meio do caminho e por aí vai. Terceiro, existem muitas informações na internet, mas elas são meio soltas e eu não tinha ideia por onde começar. Se não fosse a ajuda do meu marido, certamente eu também seria uma dessas pessoas que acharam o processo um bicho de sete cabeças e teria desistido.

O processo é chato, isso é verdade, mas é muito menos complexo do que parece. Eu finalizei tudo em 2 anos exatos, contando a preparação para o TOEFL que me tomou um ano. Para quem está no Brasil, é possível iniciar o processo de lá mesmo, já que a entrega de documentos é feita pelos correios.

Importante deixar claro que cada estado dos Estados Unidos têm regulamentações e requerimentos diferentes. Os passos que vou explicar aqui são baseados na legislação da Califórnia. Pode também haver alguma adaptação do processo em função dos créditos e documentos cedidos pela universidade formadora no Brasil. Em síntese, o processo varia de pessoa para pessoa, mas tenho certeza que posso  dar o norte que eu não tive quando iniciei. Então vamos lá!

Passo 1: Decida para qual estado você vai aplicar e confira o site do conselho de fisioterapia desse estado para saber os requerimentos. No caso da Califórnia, é o PTBC (Physical Therapy Board of California) com  informações importantes de todo o  processo. Para quem for aplicar fora da Califórnia, uma opção similar seria buscar pelo Approved Credential Evaluation Services no site do conselho do estado selecionado. Essas são empresas que vão avaliar o seu diploma brasileiro e indicarquais matérias adicionais serão necessárias para a equivalência com o diploma americano.

Passo 2: Escolha e contrate um dos Credential Evaluation Services aceitos pelo seu estado. No caso da Califórnia, o PTBC  apresenta as instituições aceitas pelo estado. Importante saber que esses serviços estão espalhados pelos país e você não precisa escolher necessariamente um que pertença ao seu estado de aplicação. Por exemplo, eu apliquei para Califórnia, mas a empresa que fez a avaliação do meu diploma foi o FCCPT (Foreign Credentialing Commission on Physical Therapy) da Flórida.

Eu recomendo o FCCPT como credential evaluation service, independentemente do estado que for aplicar, pois tive uma ótima experiência.

Nessa fase você irá precisar do seu histórico escolar e da descrição detalhada (ementa) de cada uma das matérias cursadas na sua Universidade, chamado de sylabus. Normalmente as Universidades brasileiras cobram um valor absurdo para liberar esse documento (acho que paguei uns R$ 800,00). Uma vez com o sylabus em mãos, você terá que contratar um serviço de tradução especializado. Essa parte é a mais cara! Os tradutores brasileiros cobram de 5 a 6 mil reais para traduzir esse documento – o custo é por página e este documento possui mais de 100.

Outra opção seria solicitar à sua Universidade que envie os documentos em português para o FCCPT que, por sua vez, enviará uma cópia solicitando a tradução. Nesse caso, é possível contratar profissionais de tradução pela web. Os serviços online entregam a documentação super-rápido, mas cobram em dólar. Essa fase da liberação de documentos pela faculdade mais a tradução levou 2 meses.

A ementa e o histórico escolar com a nota e a carga horária de cada matéria (transcript) devem ser enviados pela sua universidade diretamente para o FCCPT. Então se você, assim como eu, optar por traduzir seus documentos fora da universidade, deverá solicitar que a tradução dos documentos seja enviada junto com os originais dentro do envelope lacrado e carimbado. Há também outros documentos que deverão ser enviados por você. Estes estão descritos no website do Credential Evaluation Service. No caso do FCCPT, a página de documentos necessários está aqui.

Após a entrega de todos os documentos, a resposta da avaliação do seu diploma será dada em até 3 meses.

*Enquanto a resposta não sai, caso você não tenha a certificação TOEFL, aconselho que esse precioso tempo seja usado em muito estudo! Para quem não sabe, essa é uma certificação de proficiência na língua inglesa requerida pela maioria das instituições nos EUA. Os estados que não exigem a certificação são exceções e independentemente da licença, esse é um certificado para a vida! Para ser aprovado no TOEFL, é necessário atingir o score requerido por cada estado e isto varia de cada lugar. Aqui está o link do score exigido pela Califórnia.

Passo 3: Adquira os créditos requeridos pelo FCCPT para fazer a equivalência do seu diploma. Depois de receber a resposta sobre a avaliação do seu diploma, o FCCPT irá te enviar um documento descrevendo quantos créditos (units) deverão ser obtidos para a equivalência. No meu caso, precisei cursar matérias de educação geral, escolhidas por mim e com base na grade cumprida na minha faculdade do Brasil. Soube que outras empresas de Credential Evaluation adotam critérios diferentes que exigem ainda mais créditos, muitas vezes de matérias pré-estabelecidas. Mais um motivo para indicar o FCCPT!

Além de educação geral, poderão ser necessários créditos em educação específica. No meu caso, precisei de duas matérias que cursei on-line mesmo, paralelo às aulas do College, em apenas 45 dias.

* Junto com a avaliação do diploma pelo FCCPT, recebi a oferta de um serviço de consultoria, que vale a pena contratar se você tiver um dinheirinho sobrando. Me ajudou muito a escolher as instituições e as matérias a cursar.

Dica de ouro É nessa fase, enquanto você batalha pelos créditos necessários, que você deve tentar o TOEFL. Como as matérias de educação geral são normalmente simples, é possível estudar para o TOEFL paralelamente. Eu precisei de 4 tentativas para passar! Não espere adquirir todos os créditos que você precisa para então tentar o TOEFL porque sem ele também não conseguirá trabalhar como fisioterapeuta.

Passo 4: Aprovação dos novos créditos. Quando todas as matérias forem cursadas e todos os créditos obtidos, deve-se enviar um documento referente a cada matéria com a carga horária para o FCCPT, é o que eles chamam de re-evaluation. Com os documentos em mãos, o FCCPT leva em torno de um mês para te dar a aprovação final. Se tudo estiver direitinho, seu diploma brasileiro será equivalente ao americano! =)

Passo 5: Aguarde pela carta do conselho de fisioterapia do estado confirmando que você atingiu os requisitos e agora esta liberado para fazer o NPTE (Nacional Physical Therapy Exam). Nessa fase, seu contato com o FCCPT acaba e você passa a se reportar para o conselho de fisioterapia do estado, o PTBC (Physical Therapy Board of California) no caso de quem vai aplicar na Califórnia. Os dois requisitos básicos para a Califórnia são: ter o seu diploma equivalido (passo 4) e passar no TOEFL. Essas duas instituições deverão enviar seus documentos direto para o conselho do estado que você esta aplicando. Assim, se você realmente cumpriu essas duas exigências com sucesso, o PTBC enviará uma carta dizendo que você esta apto para se inscrever para o exame nacional, o NPTE. Eu passei no TOEFL em maio de 2015 e recebi a carta em junho de 2015.

Passo 6: Se inscreva e prepare-se para o CLE (exame exigido pela Califórnia) e o NPTE. O CLE (California Law Examination), é um teste de jurisprudência bem simples e curto (2 semanas de estudos são suficientes) sobre as leis da Califórnia em relação à fisioterapia e aos deveres profissionais,  o que pode ou não fazer. Aqui você encontrará todos estados que requerem esse teste de jurisprudência.   .

As inscrições e informações sobre o CLE são obtidas no site do PTBC.

O NPTE é um exame de 5 horas que contém 250 questões de múltipla escolha que avalia TODAS as áreas da fisioterapia. É um exame complexo por ter um conteúdo tão vasto, mas a prova é baseada em casos clínicos, o que a meu ver, facilita a situação. Esse exame acontece 4 vezes ao ano e alguns estados estipulam um limite máximo de tentativas. Aconselho levar bastante a sério esse exame e estudar com antecedência se quiser passar na primeira tentativa. A prova custa USD $ 400,00… imagina ter que gastar isso mais vezes?! Eu estudei para essa prova por 5 meses com uma média de 8 horas de estudo por dia! Há 1 mês recebi a notícia maravilhosa de que todo o meu esforço valeu a pena, passei no NPTE!!! Nesse exato momento estou esperando ansiosamente minha carteira de fisioterapeuta (temporária) chegar a qualquer instante!

Para se inscrever para o NPTE e obter qualquer tipo de informação referente a ele, você tem que se cadastrar no site do conselho federal de fisioterapia, o FSBPT (Federation of State Boards of Physical Therapy). 

Passo 7:  Faça o Clinical service. Junto com a sua carteira temporária, você deverá receber uma lista de lugares para fazer um clinical service por 9 meses e finalmente conseguir sua carteira de fisioterapeuta definitiva. Como ainda estou esperando a minha carteira temporária, não posso dizer com certeza como o clinical service funciona. Em janeiro de 2016, provavelmente estarei começando o meu e terei prazer em dar mais informações. Pelo o que sei esse é o último passo… À partir daí é só alegria!

Sei que parece muita coisa, mas a dica é viver uma etapa de cada vez, sem se angustiar com as seguintes para não desanimar. Sem dúvidas, é um processo trabalhoso, mas não impossível. A questão é focar, ter paciência e não desistir.

Para quem quer algo mais rápido, uma opção seria aplicar para Physical Therapist Assistant, que é uma posição de assistente do fisioterapeuta, onde o profissional não tem autonomia para fazer um plano de tratamento, avaliação, plano de alta, entre outras atividades que um fisioterapeuta teria. Entretanto, pode ser uma opção inicial, para quem precisa trabalhar logo, já que é um processo mais curto com exigências menores. As informações para PTA também podem ser encontradas nos sites citados acima.

Quem quiser tirar dúvidas e principalmente pegar dicas em relação ao estudo do TOEFL e do NPTE pode entrar em contato. Tenho dicas de ótimos cursos de preparação para esses dois testes. Meu e-mail é drielesanches @ gmail.com.

Espero que este post encoraje outros fisioterapeutas que estão na luta como eu! Boa sorte!

Driele


Driele Nogueira Sanches, 28 anos natural de Salvador. Formada em Fisioterapia pela Universidade Católica do Salvador. Mudou para o Vale há quase 3 anos junto com o marido, e trabalhou como teacher assistant e nanny enquanto validava o diploma de fisioterapeuta e estudava para os exames necessários para adquirir a licença nos EUA. Seu hobby preferido é conhecer lugares novos na companhia do marido.

 

 

The following two tabs change content below.

BRAVE - Brasileiras do Vale

Integrar a mulher brasileira imigrante e fortalecer a comunidade brasileira feminina no exterior.

Latest posts by BRAVE - Brasileiras do Vale (see all)

FB Comments

comments

2018-03-15T15:29:07+00:00

About the Author:

Integrar a mulher brasileira imigrante e fortalecer a comunidade brasileira feminina no exterior.

6 Comments

  1. carla February 19, 2016 at 7:56 am

    Parabéns colega! Muito sucesso pra vc!

  2. Keila May 2, 2016 at 8:34 pm

    Ola, meu nome eh Keila e gostaria de mais informacoes, como por exemplo sobre a consultoria que vc citou no artigo. Posso contactar por email?
    Muito obrigada

    • Angela May 6, 2016 at 9:58 am

      Oi Keila, vc está no nosso grupo do FB? Se sim, só contactar a Driele. Se não, mande um email para a gente (info@brasileirasdovale.com) que encaminhamos pra ela.
      Obrigada.

  3. […] A convalidação é bem distinta dependendo da profissão. Para ter uma ideia, veja este artigo de Driele Sanches escrito para o Brasileiras do Vale sobre a convalidação do diploma e licença na área de fisioterapia. […]

  4. Meu diploma é válido nos Estados Unidos? · February 28, 2017 at 7:21 pm

    […] A convalidação é bem distinta dependendo da profissão. Para ter uma ideia, veja este artigo de Driele Sanches escrito para o Brasileiras do Vale sobre a convalidação do diploma e licença na área de fisioterapia. […]

  5. […] A convalidação é bem distinta dependendo da profissão. Para ter uma ideia, veja este artigo de Driele Sanches sobre a convalidação do diploma e licença na área de fisioterapia. […]

Comments are closed.