Vitrine – Cláudia Ciunciusky

Vitrine – Cláudia Ciunciusky

 

Cláudia Ciunciusky é criadora do projeto que está ajudando mulheres em toda Bay Area e além disso ela é mãe, amiga e uma Brasileira do Vale. Conheça um pouco sobre essa mulher que está realizando um sonho e fazendo acontecer!

Cláudia, como era sua vida no Brasil?

Antes de me mudar para os EUA no final de 2003, meu último trabalho foi como professora de Anatomia e Fisiologia na escola de Técnica do Centro Paula Souza em São Paulo. Eu tinha uma vida corrida, estudava e trabalhava muito.

Como foi a sua mudança para os EUA e que impacto causou na sua vida?

Eu me mudei para cá assim que acabei a faculdade. Foram anos de estudo, plantões em hospitais e clínicas – tudo bem puxado. Se eu soubesse que um dia eu mudaria de país, não teria escolhido o curso que escolhi, pois o processo de validação é muito longo e cansativo.

Quais foram as suas primeiras impressões sobre os EUA? O que foi parecido ou diferente?

Há quase 14 anos não se tinha muito acesso a informação, e a visão dos EUA era diferente da que temos hoje. O pouco que eu sabia era pelo que lia nos jornais e pelo que os amigos falavam. Mesmo assim, quando cheguei tive um misto de encantamento e confusão. A organização e a limpeza me saltaram aos olhos. E apesar da cultura diferente, eu não tive problemas para me adaptar.

Sabemos que a maternidade não foi fácil para você. Como foi a sua jornada e o que você aprendeu com ela?

O começo da minha maternidade não foi um conto de fadas. Além da dificuldade para engravidar, as duas gestações foram bem desgastantes. Eu tive endometriose, e após seis procedimentos médicos, medicamentos e injeções, eu engravidei – só na minha segunda gravidez foram quase 482 injeções.

Ao longo dessa jornada, várias vezes eu pensei em desistir do tratamento médico, mas nunca de ser mãe. Eu consegui filhos biológicos, mas estava pronta para ter meus filhos gerados de coração. Eu queria ser mãe e pouco me importava a cor da pele ou dos olhos, se tinha cabelos lisos ou enrolados, tampouco sua nacionalidade. Eu queria ser mãe! Conversava muito com meu marido sobre as alternativas de realizar esse sonho. O apoio e a força dele foram fundamentais.

A maternidade é muito maior que qualquer sentimento, e tudo fica muito pequeno diante do amor que se tem por um filho. Hoje eu sou uma mulher muito mais forte e decidida, me sinto vitoriosa por ter conseguido me tornar uma pessoa melhor. Além de prezar muito meus relacionamentos – o que não for verdadeiro, não tem valor.

O que é o Projeto Caminhando de Mãos Dadas?

O Projeto Caminhando de Mãos Dadas é um projeto direcionado à comunidade brasileira, voltado para mulheres, crianças e a família no geral. É um projeto com foco em educação e saúde, e tem como objetivo informar e tirar dúvidas. Eu sempre desejei fazer algo onde as pessoas pudessem saber que não são as únicas com dificuldades.

Queria criar um espaço onde elas pudessem contar suas histórias e se sentirem confortáveis para fazer perguntas e procurar ajuda. Já estamos em um país onde a cultura é diferente, assim nada mais aconchegante do que ter essa mão estendida por um outro brasileiro. O diferencial do projeto é esse: os assuntos abordados são tratados por profissionais especializados e apresentados na nossa língua. Isso traz uma tranquilidade para a mãe com filhos pequenos que tem uma rotina tão corrida e cansativa.

Também proporcionamos um aconchego, pois antes das nossas reuniões tomamos um cafezinho, conversamos, e as crianças se juntam para brincar. Vira um “playdate” com informações.

Paralelo a isso, estamos iniciando um levantamento de informações sobre as escolas locais. O objetivo é criar uma rede de mães brasileiras para tirarem dúvidas e terem segurança para tomar uma melhor decisão sobre a escolha da escola para seu filho(a).

Como surgiu a ideia do Projeto?

O Projeto é um sonho antigo. Quando eu cheguei aqui não tive muito suporte. Eu não falava inglês, nunca tinha morado fora e nem redes sociais existiam. Imagina só a solidão.

Então eu tive que aprender tudo sozinha. Fui me lapidando. Cada coisa que eu aprendia eu pensava: um dia eu vou poder fazer algo por alguém. E foi assim que eu fui juntando minha bagagem e sempre pensando no dia de colocar tudo em prática.

Como as pessoas podem se inscrever para o projeto e assistir às palestras?

O projeto começou somente com reuniões presenciais e agora estamos fazendo ao vivo (live) via Facebook. Quem não pode comparecer, pode assistir online, interagindo e fazendo perguntas. E depois a gravação vai para nosso website. Nosso primeiro “live” foi com a nutricionista Erica Schmierer e foi um sucesso! Tivemos mais de 500 visitas.

Para quem quiser saber mais e se inscrever em nossas reuniões só visitar nosso website e curtir na página do projeto no Facebook.

Você teve algum mentor? Alguém te inspirou e orientou?

As pessoas que mais me inspiram são a minha mãe e a minha avó Luzia, já falecida. Elas sempre me ensinaram que viemos nessa terra para servir. Eu sempre sirvo. E me sinto até mal quando alguém faz algo por mim – sei que preciso trabalhar isso em mim (rs).

E quais são os seus planos para o futuro?

Meu único plano hoje é ser uma boa mãe e esposa. Mas eu tenho um sonho de abrir um centro de pesquisas para crianças com deficiências neurológicas e poder colocar em prática tudo o que eu aprendi. Enquanto isso não acontece, eu foco no projeto Caminhando de Mãos Dadas.

Aproveito para agradecer a todos que estão colaborando com o Projeto. Deixo registrado aqui meu eterno agradecimento com muito carinho a todos os envolvidos pela dedicação, ajuda e apoio.

 

 

The following two tabs change content below.

BRAVE - Brasileiras do Vale

Integrar a mulher brasileira imigrante e fortalecer a comunidade brasileira feminina no exterior.

Latest posts by BRAVE - Brasileiras do Vale (see all)

FB Comments

comments

2017-11-18T19:52:09+00:00

About the Author:

Integrar a mulher brasileira imigrante e fortalecer a comunidade brasileira feminina no exterior.

2 Comments

  1. Flavia September 19, 2016 at 7:28 pm - Reply

    Parabéns Claudia, fico muito feliz que hoje este projeto existe, é muito importantes Para nós br soleiras ter este aconchego informações.Parabéns novamente e quero poder um dia participar pessoalmente das palestras.

  2. Mariangela Smania December 29, 2016 at 10:24 am - Reply

    Amei o seu projeto. Certamente enriquecedor para muitas famílias. Parabéns!!!

Leave A Comment