por Liane Cafarate e Nelli Gyongyosi

Top 5: Aprendizados de 100+ Histórias Reais

“Você consegue. Continue tentando! Acredito em você. Você vai descobrir uma forma de resolver isso!”🙌

Essas frases são exemplos de encorajamento que a maioria das pessoas escutam várias vezes durante sua vida — bem, assim espero!

Por que espero que isso seja verdade? Porque, o quanto somos encorajados, pode fazer uma enorme diferença. Pode mudar a forma como avaliamos desafios, o quão estamos dispostos a arriscar e quão frequente nos permitimos perseguir nossos sonhos. Muito em jogo!

Entretanto, se você não acredita o quão poderoso encorajar alguém pode ser, eu não fico surpresa. Eu também não acreditava. De qualquer forma, estava curiosa. Então decidi aprofundar meu conhecimento nesse tópico e aprendi muitas coisas incríveis, que compartilharei agora com você.

Por que me interessei em pesquisar o impacto do encorajamento?

Minha amiga Nelli Gyöngyösi e eu temos o empoderamento feminino como interesse comum e queríamos entender melhor quais fatores influenciavam o nível de confiança das mulheres nelas mesmas. Percebemos que um fator significativo poderia ser a coragem: aquela faísca que nos faz tentar coisas novas e arriscar com a esperança de conseguir algo e evoluir como pessoa.

Como a coragem acontece? Qual é o impacto quando outros nos encorajam? Como podemos encorajar nós mesmas? Como podemos lidar com o desencorajamento? Quais tipos de encorajamento importam mais?

Tínhamos tantas dúvidas…

Então começamos a coletar histórias e entrevistar pessoas, empolgadas para aprender da experiência delas e chegar mais perto das respostas que estávamos buscando. Reunimos mais de 100 experiências reais de encorajamento e desencorajamento. Eu gostaria de agradecer especialmente a todos que nos contaram suas histórias! 🧡

Porque acreditamos que possa ser útil para outras pessoas, gostaríamos de compartilhar alguns aprendizados incríveis que tivemos nessa pesquisa.

Top 5 aprendizados:

1) O encorajamento pode ter um impacto grande e duradouro

“Você consegue!” — todos sabemos que uma frase como essa pode nos motivar a fazer algo. Como resposta, nós geralmente agradecemos ou apenas sorrimos e então seguimos com a nossa vida, mais felizes por algum tempo, mas nada tão importante — e isso já é bom o suficiente. Mas, muitos temos lembranças de palavras de encorajamento ou desencorajamento que permaneceram conosco muito mais que poucos minutos. Na verdade, mais de ¼ das histórias que escutamos eram de muitos anos atrás (da infância, por exemplo) e tiveram uma influência significante na vida dessas pessoas.

Isso enfatiza dois pontos importantes:

  • Não deveríamos nos conter quando se trata de encorajar outras pessoas. Nós nunca poderemos saber como outras pessoas serão impactadas por palavras positivas. Portanto, se palavras de encorajamento surgem na nossa mente, com certeza deveríamos dizê-las em voz alta!
  • É muito útil ter uma técnica que nos ajude a lidar com desencorajamento, assim não deixamos que comentários negativos de outras pessoas fiquem na nossa cabeça e influenciem o que pensamos sobre a nossa capacidade de conseguir algo.

2) Encorajamento puro não apresenta nenhum risco

Quando começamos a conversar com as pessoas sobre o tópico de Encorajamento, algumas delas não acreditavam que o impacto positivo fosse tão relevante. Um pensamento típico que nos compartilhavam era: “Sim, eu consigo ver como o encorajamento, em geral, pode ser algo bom, mas se eu encorajar alguém para investir seu tempo em algo que essa pessoa não tem aptidão e ela falhar?” Agora, depois de coletar muitas histórias, podemos dizer com confiança: as possibilidades disso acontecer são muito pequenas. Ouvimos apenas uma história na qual o encorajamento de um membro da família levou a um resultado negativo e isso ocorreu somente porque ele estava acompanhado de um conselho muito ruim. Então aqui está a regra de ouro que aprendemos:

Puro encorajamento não tem riscos. Se você não combiná-lo com conselhos, suas palavras apenas levarão a um único impacto: você fará a pessoa se sentir melhor.

3) Pequenas coisas importam

Encorajamento pode vir em diferentes formas. Não precisa fazer um grande esforço e mesmo assim poderá causar um impacto enorme. Escutamos muitas histórias onde um pequeno ato ou poucas palavras significaram muito simplesmente porque elas vieram em um momento de necessidade.

4) Quanto mais próximo o relacionamento que temos com alguém, maior a importância do encorajamento

As histórias que coletamos abordavam diferentes tópicos de vários períodos de vida, mas poucas envolviam pessoas cujo indivíduo não tinha uma relação próxima. Na maioria dos casos, eram familiares, amigos próximos e pessoas em posição de autoridade (gerentes, professores) cujas palavras de encorajamento e comportamentos fizeram a diferença.

Ficamos bastante surpreendidas que não importava se a pessoa era especialista no tópico em questão.

Por exemplo, digamos que você está planejando começar seu próprio negócio e seus pais lhe encorajam dizendo que eles acreditam em você. A probabilidade que você também acredite em si mesmo é muito maior que quando comparamos com o caso de você receber esse mesmo encorajamento de alguém não tão próximo. Você será encorajado não porque seus pais são especialistas em empreendedorismo, e sim porque você tem um relacionamento próximo com eles. Portanto, o encorajamento deles importa muito mais para você.

5) Temos o poder de controlar como outros nos impactam

Ouvimos várias histórias de pessoas que se sentiram encorajadas através de palavras ou ações. Igualmente, muitas pessoas se sentiram desencorajadas quando alguém as desencorajou. Nenhuma surpresa aqui, certo?

Entretanto, em torno de ⅓ das histórias, nossos entrevistados não permitiram que o desencorajamento os parasse. Eles conseguiram ignorar ou até mesmo transformaram palavras negativas em combustível para seguir em frente! Essas pessoas tiveram a habilidade de encorajar a si mesmos, algumas vezes incentivados por um “role model”, algumas vezes até mesmo por um livro inspirador.

Todos eles demonstraram possuir uma mentalidade de crescimento: eles sabiam que eles podiam aprender novas habilidades e que tinham o poder de construir seu próprio caminho.

É incrível como podemos aprender tanto apenas escutando histórias de outras pessoas! Escrevi esse artigo com a expectativa de chamar a atenção para a importância de encorajar a nós mesmos e a outras pessoas. Mas, sinceramente, esses 5 pontos são apenas a ponta do iceberg. É por isso que continuaremos a compartilhar outros pontos interessantes que aprendemos em nossa pesquisa.

Na próxima semana iremos escrever sobre como você poderá criar um ambiente de encorajamento para si mesmo(a) — fique ligado(a)!

👉 Siga-nos: O Poder do Encorajamento (inglês)

Liane Cafarate é uma brasileira que já morou no Chile, na Alemanha e se mudou para os Estados Unidos em 2019. Como trabalha com tecnologia, São Francisco era uma oportunidade de aprender ainda mais. Trabalha como Customer Success Manager e se dedica a empoderar mulheres sempre que possível. É voluntária do Grupo Mulheres do Brasil, Expat Woman, Advancing Women in Product e Empower Work. Adora ler e conversar sobre negócios. É apaixonada por gatos e tem uma laranjinha que se chama Arya.

Nelli Gyongyosi é húngara e viveu em Portugal, República Tcheca, Panamá e na Inglaterra. Em 2019, ela se mudou para São Francisco com seu marido brasileiro. Ela trabalha em Marketing e é apaixonada por diversidade, inclusão e empoderamento feminino. Ela também é voluntária nas organizações The Expat Woman e Empower Work. Junto com sua amiga Liane Cafarate, ela tem a missão de conscientizar todos sobre o incrível impacto que o encorajamento tem na vida das pessoas.